Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Obras na RSC-471, no Vale do Rio Pardo, estão em fase final

Ações incluem melhorias no pavimento, pontes e viadutos entre Encruzilhada do Sul e Canguçu

Publicação:

A foto mostra um caminhão vermelho estacionado.
Usuários poderão contar com melhores condições de trafegabilidade neste mês, se as condições climáticas permitirem - Foto: Divulgação Daer
Texto: Liana Ramos Carvalho

O escoamento da produção agrícola do Vale do Rio Pardo em direção ao Porto do Rio Grande será beneficiado com uma série de melhorias na RSC-471, no trecho entre a localidade de Coronel Prestes, em Encruzilhada do Sul, e o entroncamento com a BRS-392, em Canguçu. Com conclusão prevista para o final deste mês, as obras nos 59,89 quilômetros contam com aporte de R$ 4,7 milhões do Governo do Estado.

“Fizemos questão de incluir essa rodovia entre nossas prioridades por ser um grande corredor de exportação", afirma o secretário de Logística e Transportes, Juvir Costella. "O transporte de cargas do Vale do Rio Pardo e, até mesmo, do Norte do estado passa pela RSC-471 com destino ao complexo portuário de Rio Grande, levando nossa produção para mercados internacionais", salienta.

A foto mostra duas máquinas realizando melhorias no pavimento da RSC-471.
Mais de R$ 4,7 milhões do Tesouro do Estado estão sendo empregados em 59,89 km da rodovia - Foto: Divulgação Daer

De acordo com o diretor geral do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), Luciano Faustino, as atividades na rodovia tiveram início em maio e foram intensificadas a partir dos recursos anunciados no Plano de Obras. “Realizamos uma série de serviços para melhorar a trafegabilidade, desde tapa-buracos ao recapeamento, que é a substituição do asfalto danificado”, explica.

Está prevista, ainda, a manutenção das pontes sobre o Arroio Santo Antônio e os rios Abranjo e Camaquã e dos viadutos da BRS-392 e da Várzea do Rio Abranjo. “Também limpamos os dispositivos de drenagem, cortamos a vegetação e implantamos uma sinalização emergencial até que sejam concluídas as atividades no segmento", destaca Faustino. “A expectativa é de que todas essas ações contribuam para melhorar o deslocamento e a segurança dos usuários, além de aumentar a vida útil do pavimento da RSC-471”, finaliza o dirigente.

DAER-RS